do 13 de maio

na minha cabeça existe uma longa dissertação em evolução constante sobre a minha relação com a fé, deus, a humanidade e o amor/ódio para com a igreja católica. mas isso fica para um outro dia…

sobre o 13 de maio para mim apenas me interessa um facto, o amor.
o amor é paz e paz é amor… (até a malta dos 60’s e 70’s tanta vez sob efeito de psicotrópicos sabia isso!)

cada um de nós terá as suas dúvidas ou certezas se a mãe de cristo apareceu um dia sobre uma azinheira no tal descampado perto de ourém num portugal faminto, de povo descalço e analfabeto a 3 crianças que andavam pelo monte a sobreviver, porém, pensar nos milhões de pessoas que desde há 100 anos acreditam numa mensagem de paz e amor entre a humanidade é para mim milagre mais que suficiente.

o mundo precisa de amor.

foi preciso lavar a loiça umas quantas vezes…

não querendo de todo realizar publicidade digo que cá em casa usa-se fairy para lavar a loiça (e aquilo é mesmo bom a tirar gordura).

normalmente sou eu que lavo a loiça que se escapa da máquina e recentemente finalmente acabei com uma garrafa de detergente que já por cá andava há mais de um ano… isto tudo para dizer que acabou o amarelo e agora uso o verde (calhou certamente ser o que estava em promoção)!

bem mas indo ao que interessa. já há uns dias que de cada vez que lavava a loiça ficava com a sensação de que aquele cheiro do detergente me fazia lembrar alguma coisa… não sabia o que era, sentia ser algo bom mas a memória estava demasiado ofuscada.

hoje por fim fez-se luz!

é o cheiro das bolas de sabão da minha infância. é o cheiro das tardes na varanda a produzir fileiras infindáveis de bolinhas a flutuar pela rua fora!

e sorri por lembrar-me que ficava sempre com os lábios cheios de cieiro…